Como ajudar seus pais idosos a se mudarem para uma casa de repouso

Uma Decisão familiar: Colocar os pais em uma casa de repouso

Quando a idade vai chegando, quem tem a felicidade de ter seus pais ainda vivos, muitas vezes passará  pela seguinte questão: Devo colocar meus pais em um asilo/casa de repouso?

Esta é uma decisão muito difícil e delicada em todas as famílias, independente da condição social e/ou financeira. Por mais que o lugar selecionado seja adequado e o idoso seja muito bem tratado, decisivamente o mesmo irá perder a convivência com a família, que se resumirá somente a visitas em horários definidos pelo estabelecimento.

Muitos idosos, por este motivo, podem se sentir abandonados, desprezados e menosprezados pelos filhos/netos. Essas emoções são muito doloridas e podem até originar uma depressão.

Mas, em muitos casos, os familiares dos idosos verdadeiramente não têm tempo, disponibilidade, condições e estrutura para adaptar os cuidados necessários. Então, a internação em um asilo é uma escolha que deve ser avaliada.

Situações frequentes

Estrutura

Muitos idosos quando não podem mais viver sozinhos, quer seja pela idade ou condição física, passam a morar com parentes muitas vezes já casados e com suas próprias famílias . Então eles se veem apertados em um espaço exíguo, e a circunstância piora quando o idoso não consegue mais se locomover sozinho e carece de fazer uso de cadeira de rodas ou de andador por exemplo.

Cabe aos familiares do idoso se reunirem e analisarem as alternativas com muita honestidade e realismo, sem exigências impossíveis e mantendo um clima de união e verdadeira preocupação com o idoso.

Uma situação frequente é a de alguns familiares não aceitarem a internação do idoso no asilo, especialmente por vaidade e orgulho ao pensar.

Porém, ao mesmo tempo, esses mesmos familiares se recusam decididamente a ajudar a cuidar do idoso, empurrando a tarefa para os ombros de outros, que muitas vezes se veem obrigados a tomar para si toda a responsabilidade dos cuidados, sobrecarregando-se além do que poderiam suportar.

Desta forma, a decisão não deve ser tomada unilateralmente, mas sempre tendo em vista a melhor escolha para o idoso. Não exclusivamente em termos emocionais, mas principalmente para garantir os melhores cuidados com a saúde. Também deve ser considerado o ponto de vista da pessoa que está encarregada de cuidar do idoso, ou que tenha sobre si a maior parcela de responsabilidade sobre o mesmo. Veja o que devemos avaliar na escolha de uma casa de repouso para idosos.

Doença

Na grande parte dos casos, o cuidador familiar não tem muito conhecimento em enfermagem, o que pode se tornar um problema para a segurança e saúde do idoso. Por mais que os familiares almejem cuidar do idoso com carinho, amor e atenção, às vezes são imprescindíveis medidas mais efetivas e tratamento clinico especializado.

Disponibilidade

Muitos cuidadores abdicam de empregos, amigos, relacionamentos e vida social para se dedicarem única e exclusivamente ao idoso. Embora a legislação brasileira admita o acréscimo de 20% na aposentadoria quando é provado que o idoso carece de cuidador, vale ressaltar que o benefício é cortado após o falecimento do mesmo. E frequentemente a pessoa que se sacrificou para cuidar do familiar, após a morte deste se vê sem recursos para sobreviver. Essa situação é mais frequente quando os cuidadores são mulheres.

Como convencer um idoso a deixar a sua casa para viver em outro local

O número de idosos vem crescendo cada vez mais em toda sociedade, em virtude do grande avanço das técnicas científicas que vêm proporcionando aos indivíduos de maior faixa etária uma melhor qualidade de vida, e também beneficiando a cura para alguns males que até algum tempo ainda não tinha cura pelo meio de medicações adequadas para combatê-los.

Em virtude disso, muitos idosos hoje em dia vivem sozinhos em suas residências e escolhem essa situação a terem que morar com seus familiares.

Porém têm algumas situações nas quais essa vivência solitária se torna inviável, como por exemplo, em casos nos quais a pessoa idosa sofre de alguma enfermidade que a incapacite de viver sozinha, e que seja indispensável um tratamento mais especifico que somente um acompanhante poderá prover.

 

Nessa situação nasce um impasse. Como será que o idoso reagirá a essa nova realidade? Então veremos algumas sugestões práticas de como convencê-lo a deixar a residência onde sempre morou durante sua vida toda, e passar a morar com outra pessoa que cuidará dele, ou ser encaminhado a um asilo para cuidados específicos.

Sugestões práticas para convencer um idoso que necessita morar com outra pessoa

  1. Para convencer uma pessoa idosa que sempre morou sozinha, que desenvolveu seu sentimento de independência, que está acostumada a resolver todos os seus problemas e tomar suas próprias iniciativas a morar por determinado motivo em outro local, que alguém irá passar a cuidar de tudo para ela, em virtude de uma situação incapacitante a primeira providência para tentar convencê-lo é sugerir a pessoa certa para esclarecer ao idoso o motivo da necessidade de morar com outro. A pessoa escolhida, que pode ser um familiar ou amigo deve ser de inteira confiança do idoso, pois assim será mais simples para ele assimilar e compreender essa mudança em sua vida.
  1. Outra atitude muito adequada para convencer pessoas idosas que morem sozinhas pelo falecimento de um dos conjugues, mas que não tenham graves problemas de saúde é mostra-lhes que conviver com outra pessoa será favorável, pois assim, elas poderão se sentir mais seguras, e terá também uma companhia que servirá não só para ajudá-las nos afazeres do dia a dia, como ainda uma pessoa com quem possam conversar ou sair para se divertirem.
  1. Em casos nos quais os idosos que moram sozinhos estejam com determinado tipo de enfermidade que os incapacitem, um bom argumento será dizer-lhes que o fato de deixarem sua casa e morar com outra pessoa que cuidará deles será de extrema importância para sua qualidade de vida, pois ela ficará responsável por dar todos os seus remédios no horário correto, atentando a saúde deles, e levá-los para fazer os exames indispensáveis. Deverá ser ressaltado para o idoso o risco dele ficar sozinho em sua casa, e de repente ter alguma complicação mais grave e não ter ninguém por perto para ajudá-lo.
  1. Seja no caso de solidão ou em estado de situação incapacitante por alguma doença, convencer um idoso a sair de sua casa para morar com outra que passará a cuidar dele é uma situação muito difícil e solicita muita paciência para com a pessoa mais velha. Uma boa sugestão é tentar escutá-los em caso de recusa e perguntar a causa de sua negativa. A partir daí tentar convencê-los baseado em seus próprios argumentos. A grande maioria das pessoas não deixam os idosos se expressarem ou falarem o que pensam, e muitas vezes essa atitude pode ser a razão da recusa deles em morar com outra pessoa que passará a viver com eles, especialmente aqueles que sempre foram independentes durante sua vida inteira. Ouvir as pessoas idosas e ponderar com elas de modo calmo e persuasivo sem tentar impor-lhes nada, pode ser uma boa alternativa de convencimento.

Convencer as pessoas idosas que sempre moraram sozinhas a conviver com outra, mesmo que seja para seu próprio benefício não é tarefa simples. No entanto, seguindo essas sugestões básicas, ficará mais fácil levá-los a uma situação que apresentará uma melhor qualidade de vida pela segurança que a outra pessoa que os acompanhará trará para os idosos. Vale lembrar que respeitar a opinião das pessoas mais velhas é importante para convencê-las sobre qualquer assunto.