Por que os idosos dormem menos

Idosos saudáveis possuem a necessidade de dormir menos que os jovens. Eles também costumam apresentar um comportamento diferente quando o assunto é sono, pois eles precisam apenas de pequenos períodos de sono durante o dia, ao invés de muitas horas à noite.

Um estudo realizado na Universidade de Surrey no Reino Unido, estudou cerca de 110 pessoas de idades diferentes. Pessoas saudáveis que foram mantidas em um período de 8 horas em uma cama. Os idosos participantes do estudo, com mais de 65 anos chegaram a ter 20 minutos a menos de sono que os adultos entre 40 e 50 anos. Enquanto jovens de 20 anos dormiram até 44 minutos a mais que as pessoas mais velhas pesquisadas.

Isso não significa que os idosos devem se despreocupar com as dificuldades para dormir. Ter um sono de qualidade faz bem, independentemente da idade. A insônia pode causar sérias conseqüências sérias que vão desde lapsos durante as atividades rotineiras, passando pelas piscadelas até chegar a depressão.  

As pessoas precisam de mais horas de sono, porém quanto mais velhas as pessoas tendem a dormir menos. E são muitos os idosos que se queixam constantemente da falta de sono. De acordo com um artigo  da revista Geriatria Internacional, os padrões de sono mudam substancialmente ao longo da vida, da infância e à idade adulta. Durante a última fase da vida, o sono tende a evoluir ainda mais. Infelizmente, as mudanças que são observadas nos idosos costumam ser negativas na natureza e causar sofrimento, mudanças de humor e um declínio geral na qualidade de vida. O artigo ainda afirma que o envelhecimento se associa a padrões de sono que levantam a estágios reduzidos de sono, assim também como períodos de vigília. Distúrbios do sono como algumas síndromes e apnéia obstrutiva do sono também costumam aumentar com o decorrer da idade.  É preciso identificar e gerenciar os problemas de sono em idosos, pois a falta de sono pode contribuir para a depressão, comprometer a memória e consequentemente, causar doenças físicas.

Causas do distúrbio do sono

Além das mudanças naturais nos padrões de sono que ocorrem de acordo com a idade, existem também diversas outras razões para problemas de sono em idosos.  Existem muitos fatores, incluindo dores de artrite, apneia do sono por perda de tônus muscular e aumento da glândula da próstata que faz com que os homens acordem muitas vezes para urinar durante a noite.

Consequências do distúrbio do sono

Antigamente, além da sonolência diurna, as conseqüências para a saúde da privação do sono não foram bem aceitas. Agora sabe-se que mais de 50% de todos os adultos idosos se queixam de um distúrbio significativo de sono, e que estas perturbações podem trazer conseqüências graves para a saúde dos idosos.

O que muitos não sabem é que 40% (quarenta por cento) das pessoas que sofrem de insônia a um bom tempo, também podem possuir um distúrbio psiquiátrico, como transtorno de ansiedade ou abuso de substâncias. A depressão também pode ser uma causa para um tipo de insônia que possui como característica acordar ao início da manhã. Diversas pesquisas indicam que a própria insônia pode ser um fator de risco para depressão, outros estudos recentes encontraram uma conexão entre períodos encurtados de sono e desenvolvimento de diabetes.

A apneia obstrutiva do sono em idosos se associa a diminuição da oferta de sangue para o coração e para o cérebro, assim também como a diminuição da função mental.

Ajuda para o distúrbio do sono

Estratégias que combinam uma terapia cognitivo-comportamental com boa higiene do sono funcionam melhor nos idosos. Medicamentos para dormir podem ser eficazes em tratamentos mais conservadores, porém não estão funcionando, estes devem ser prescritos com cuidado. Apenas hipnóticos sedativos de curta duração deverão ser usados.

Em uma revisão em 48 ensaios clínicos, avaliou os benefícios do tratamento sem drogas para insônia e encontrou esses tratamentos que foram bem sucedidos pelo menos em 70% do tempo. Essas estratégias de tratamento podem incluir:

  • Manter um horário regular para dormir
  • Limitação de álcool e cafeína
  • Aumento da exposição à luz solar diária
  • Incentivar à atividade física

Dicas para cuidadores

Para os cuidadores e familiares que cuidam de idosos que parecem sonolentos durante o dia ou cujo funcionamento mental parece estar em declínio, tente observá-los durante o período do sono. Observe se o sono é agitado, se o ronco é alto ou se ocorrem períodos de respiração interrompida. Estes são sinais de apnéia do sono, uma condição que só tende a aumentar com a idade. A apneia do sono pode ser facilmente tratada com um dispositivo de pressão positiva contínua nas vias aéreas, um tratamento que é bem tolerado pelos idosos. Se você suspeitar que haja um distúrbio do sono, busque um médico para uma avaliação do sono, o que ajudará nos problemas de sono nos idosos, pois o médico responsável passará um tratamento que seja eficaz.

Como melhorar o sono do idoso?

Um sono de qualidade contribui diretamente para uma vida mais longa e saudável, e diferente do que pensam, o sono não é apenas um momento de descanso, ele é essencial para a manutenção do corpo e da mente. O sono regula as funções vitais do organismo, e um sono profundo alinhado a hábitos saudáveis como, exercícios físicos e uma boa alimentação colabora para que o indivíduo alcance uma expectativa de vida melhor.

Confira algumas dicas para auxiliar o idoso na hora do descanso

  1. Quando for se sentar, o idoso deve apoiar os braços e se aproximar bem do assento até encostar a parte de trás do joelho. Após isso, apóie as mãos nos braços do assento e incline-se para frente, flexionando o joelho até sentar. O encosto do assento deve acomodar a coluna e os pés devem estar apoiados no chão ou em algum suporte.
  2. Os idosos devem ir para a cama apenas quando tiverem sono, pois o sono do idoso é mais fragmentado e menos profundo, sendo menos concentrado à noite e mais disperso no dia, por conta do ritmo biológico. É importante evitar assistir televisão ou ler algum livro deitado, também evitar tomar chás e cafés, pois funciona como estimulante. É importantíssimo ter disciplina e tentar dormir todos os dias nos mesmos horários.
  3. Evite ficar curvado. Muitos fisioterapeutas recomendam manter a postura firme para não ficar encurvado. O idoso deve deixar os pés um pouco mais afastados e posicionar o quadril alinhado ao tronco, com os pés firmes no chão.
  4. Para colaborar com a qualidade do sono do idoso, o travesseiro, o colchão e até mesmo a temperatura ambiente contribuem para um sono perfeito. Por isso, na hora de dormir o idoso deve dormir de lado e utilizar um travesseiro que complete o espaço entre a cabeça e o colchão, formando um ângulo de 90 graus no pescoço, alinhando toda a coluna com o tronco. Essa posição facilita a circulação sanguínea e permite que os estímulos elétricos sejam perfeitamente enviados pelo cérebro a todos os órgãos do corpo.

Como tratar a insônia no idoso

O tratamento de insônia para o idoso deve ser indicado por um médico especialista em distúrbios do sono, incluindo a identificação da causa para então iniciar o tratamento correto. Depois da causa identificada o tratamento poderá ser realizado com:

  1. Bons hábitos

Para garantir uma boa noite de sono é aconselhado:

  • Não fumar;
  • Evitar o consumo de café, chá preto, coca-cola e bebidas alcoólicas. No entanto, 1 taça de vinho tinto ao jantar, é recomendado;
  • Dar preferência às refeições leves ao jantar.

Outro conselho importante para evitar o agravamento da insônia é não cochilar na sala e ir para a cama apenas quando sentir muito sono e tiver certeza que ao deitar na cama irá dormir.

  1. Remédios caseiros

Alguns bons remédios caseiro para insônia no idoso são suco de maracujá, chá de camomila e as cápsulas de valeriana, que são naturais e possuem propriedades sedativas, favorecendo o sono, sem efeitos colaterais. Estes podem ser usados ao mesmo tempo que os medicamentos porque complementam o tratamento contra a insônia. 

       3. Remédios contra insônia

Alguns nomes de remédios para dormir que o médico pode indicar são Lorax e Dormire, mas ele também pode receitar medicamentos indicados para outros fins, mas que também favorecem o sono como os anti-histamínicos: Periatim e Fenergam; antidepressivos: Amytril e Pamelor; ou sedativos: Stilnox.