Idosos e o pós-Covid: riscos e cuidados

Especialmente durante as fases mais críticas da pandemia celebramos a vitória de cada pessoa de idade avançada que conseguiu se recuperar da COVID. Apesar da alegria e esperança que isso traz, há também uma preocupação que muitas vezes fica de lado: o pós-COVID. Para muitos desses idosos, a vida jamais será a mesma após cruzarem seus caminhos com o vírus Sars-CoV-2.

Vários estudos já mostram que quanto mais avançada a idade e debilitado o organismo, maiores as chances de desenvolver sequelas da infecção pelo coronavírus e maior o risco de desenvolver o que se chama de síndrome pós-Covid.

Tendo em vista que a Covid-19 é uma doença recente, o conhecimento a respeito do seu comportamento, principalmente no que se refere às suas sequelas e desfechos a longo prazo. Neste artigo, nós do Residencial Serenidade explicamos o que você precisa saber sobre as sequelas e o pós COVID em idosos. Continue a leitura!

Quais as possíveis sequelas do covid-19 em idosos?

Por mais assustador que seja pensar nisso é necessário considerar a possibilidade de surgimento de sequelas ou comprometimentos entre os pacientes que foram acometidos por esta doença, principalmente entre aqueles que sofreram com a forma mais grave e precisaram de cuidados intensivos.

Muitos estudos já mostram que novos problemas de saúde são desenvolvidos depois da recuperação do coronavírus. Quase um terço dos idosos com covid-19 em 2020 precisaram de atendimento médico para pelo menos um novo problema de saúde após superação do vírus.

Os problemas de saúde decorrentes do COVID órgãos como coração, rins, pulmões e fígado, além de complicações de saúde mental. As dificuldades respiratórias, fadiga e hipertensão são os problemas mais comuns entre os adultos com mais de 65 anos.

Além disso, o tempo internado, com o corpo lutando contra o vírus, a inflamação e outras complicações, pode abrir caminho à fibrose muscular, situação que costuma vir acompanhada de dificuldade para respirar e se locomover e, às vezes, é seguida por uma insuficiência cardíaca.

Não são raros os relatos de pacientes que saem da Covid-19 com fadiga crônica, dor no peito, problemas respiratórios, sem falar na saúde mental, fragilizada com o medo da doença e a necessidade do isolamento social.

Busque acompanhamento médico 

É preciso ter em mente que, não só o idoso mas também aqueles que já sofriam com comorbidades, a infecção pode ser muito limitante. Idosos que sobrevivem à Covid-19 estão sujeitos a várias situações de fragilidade — desde a dificuldade respiratória até o maior risco de quedas e fraturas.

Por isso, é muito importante promover medidas de intervenção para melhorar a qualidade de vida do paciente e preservar sua capacidade e autonomia, para que ele de fato possa ter motivos para comemorar a alta hospitalar. Não dá para deixarmos os idosos à própria sorte, não é?

Todas essas práticas listadas nesse texto são seguidas à risca aqui no Residencial Serenidade. Aqui no Blog do Serenidade pode encontrar mais dicas sobre diversos assuntos que podem te interessar. Visite nossas redes sociais e em caso de dúvidas, não hesite em nos contactar!

LEIA MAIS  Veja as vantagens de ter animais de estimação na terceira idade


Deixe um comentário