Quais são as principais vacinas para idosos e quanto tomá-las

Não é novidade para ninguém que com a saúde não se brinca, e quando isso está relacionado aos idosos, os cuidados tem que ser redobrados. Como eles possuem baixa resistência imunológica, é importante que as vacinas estejam todas em dia para garantir proteção contra possíveis doenças ou infecções, além de também fornecer uma qualidade de vida melhor para os nossos queridos velhinhos.

Mas não é tão simples assim, é importante ficar atento às particularidades de cada vacina e principalmente ter acompanhamento médico para não cometer erros.

Para deixar tudo mais fácil, vamos falar um pouco sobre as principais vacinas que todo idoso deve tomar e quais delas são oferecidas gratuitamente pelo SUS e quais são fornecidas apenas através de clínicas particulares.

GRIPE

Causada pelo vírus do tipo influenza, a vacina gripe não previne apenas contra a gripe mas também contra pneumonias. Devido a sua composição, ela não oferece risco de infecção no idoso.

Quando tomar?

Normalmente, o vírus da gripe começa a circular com mais frequência no outono, por isso, é ideal que ela seja tomada antes desse período para evitar infecções.

Contraindicação

Idosos com histórico de reação anafilática ou alergia ao ovo da galinha e derivados. Também não é recomendado tomar a vacina pessoas que estão em quadro de infecção febril ou problema de coagulação do sangue.

Lembrando que a vacina contra a gripe é fornecida gratuitamente pelo SUS nos postos de saúde em campanhas de vacinação anuais.

VACINA MENINGOCÓCICA

A principal protetora contra a bactéria conhecida como Meningococo que é a principal causadora de infecções graves através da disseminação na corrente sanguínea como meningite e meningococemia.

No caso dos idosos, por não existirem muitos testes com essa vacina, ela só é indicada em casos de epidemia ou caso o idoso faça uma viagem para áreas de risco.

Quando tomar?

Em caso de epidemias, deverá ser tomada em apenas 1 dose.

Contraindicação

Pessoas com algum histórico de alergia a componentes da vacina. A mesma também deverá ser adiada caso o idoso apresente quadro de doença febril ou coagulação do sangue.

Infelizmente, a vacina meningocócica só é fornecida através de clínicas particulares.

VACINA PNEUMOCÓCICA

Uma das principais vacinas para combater a pneumonia assim como outra doenças perigosas como meningite e bacteremia.

Quando tomar?

Normalmente ela é dividida em 3 doses, sendo que após a primeira dosagem, a segunda é enviada após 6 a 12 meses e a última após 5 anos.

Contraindicação

Não é indicada em caso de histórico de doença febril ou problemas com a coagulação do sangue. Também deve-se ficar atento caso tenha ocorrido alguma reação anafilática à primeira dose.

A vacina contra febre amarela também pode ser encontrada de forma gratuita através do SUS.

VACINA CONTRA HERPES ZÓSTER

Podendo viver alojado por meses nos nervos do corpo, o vírus varicela, causador da herpes zóster pode provocar bolhas avermelhadas no corpo que são muito dolorosas. Esse tipo de infecção é muito comum em idosos pois a mesma atinge pessoas com imunidade mais fraca. Por isso, é importante prevenir.

Quando tomar

Caso o idoso não tenha histórico da doença previamente, deve ser aplicada 1 dose para pessoas com idade acima de 60 anos. Caso o histórico já exista, deve-se esperar um período de 6 meses a 1 ano para a aplicação.

Contraindicação

Não é indicada para pessoas com imunidade comprometida por uso de medicamentos como portadores de câncer ou AIDS que estão sujeitos ao uso de corticóides ou quimioterápicos.

A Vacina contra a Herpes Zóster pode ser aplicada em clínicas particulares.

TRÍPLICE VIRAL

Eficiente na luta contra o sarampo, caxumba e rubéola, a vacina contra tríplice viral é necessária no combate a infecção, principalmente se o idoso for exposto a viagens para regiões de risco, surtos, pessoas que não tenham recebido nenhuma dose da vacina durante a vida e pessoas que nunca sofreram de infecção.

Quando tomar

2 doses ao longo da vida com intervalo de 1 mês entre elas

Contraindicação

Pessoas que já tiveram reação anafilática após ingestão de ovo ou com imunidade gravemente comprometida.



Deixe uma resposta